Pesquisar neste blog

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Carta aberta ao pelego Zé “Anônimo”

Foto meramente ilustrativa
Nesta ocasião me dirijo a um sujeito que me ataca constantemente em meu blog, de maneira anônima. Eu sei quem é, mas como não posso citar o nome de um “anônimo”, me limito a dizer que ele mantém, também de forma anônima, um blog intitulado “Jornal guarita da liberdade”, com pagina no fecebook.

Como não sou covarde e tudo o que faço eu assino, anonimato para mim é a pior das covardias. Tanto que, quando usado de maneira torpe, torna-se crime pelas leis brasileiras. Antes de continuar, quero dizer que não sou perfeito. Tenho erros inconfessáveis, assim como qualquer outra pessoa em evolução. Mas isso você já disse anonimamente em meu blog. Mas agora vamos falar de você.

Caro Zé “anônimo”, do “Jornal” Guarita da Liberdade. Admiro pessoas que lutam por causas sociais, principalmente os que fazem pela causa, e não por interesses escusos. Claro que não é o seu caso!

Tenho minhas duvidas sobre a sua nobreza. Desde que te conheço, há 30 anos, não consegui ver, até agora, razões para crer em seus discursos de socialismo e liberdade. Aliás, discursos esses que contradizem suas atitudes fascistas. 

Quero parabenizá-lo pelos 17 votos que obteve nas urnas nessa campanha para vereador em Vilhena. Parece pouco 17 votos, mas é muito mais do que você mereceu. Alguém que ataca pessoas sérias de forma covarde e anônima, não deveria se candidatar a cargos públicos. Deveria ficar entocado em lugar escuro e sem espelho, para não ver seu próprio rosto.

Militei na esquerda durante alguns anos, me afastei quando Lula ganhou por considerar a causa ganha. Volto agora, quando a “causa” precisa de mim novamente. Ao contrário de você, que vivia colado em qualquer FDP antes de 2002, e voltou agora, como lacaio-mor de um clã da cidade. Isso se chama “peleguismo”.

Você pode até perguntar: “Como o Dejanir sabe que sou eu a comentar seu blog, já que faço de forma anônima?”. Pois é... até para ser pilantra tem que ter competência. Quando fez alguns dos comentários, seu blog estava aberto. Foi fácil chegar até você.

Para finalizar, quero dizer que continuo te respeitando como pessoa. Sei que você também tem qualidades e, lá no fundo é uma pessoa boa, com alguns valores que admiro. Sei que seus valores mais nobres vão te ajudar a crescer de forma a torna-lo uma pessoa melhor. Afinal, você ainda é um menino, assim como eu sou.

 Mas, sem mágoas. Quando nos encontrarmos, podemos nos cumprimentar, desde que não esteja com seu facão em punho.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sejam bem-vindos. Não haverá censura aos comentários, exceto para textos agressivos de leitor anônimo.